17 October 2017

Entre a Quinta da Marinha e o Parque das Nações, houve brindes com champanhe

SEDUÇÃO E PODER

  
Coincididindo com a publicação do seu álbum anterior (St. Vincent, 2014), Annie Clark anunciou o lançamento de um lote especial de café Flecha Roja, da Costa Rica, por ela seleccionado para a Intelligentsia Coffee: “Adoro café. Por vezes, à noite, fico excitada só de pensar no café que irei beber na manhã seguinte. O café é a razão para eu acordar. Não é a única, claro. Mas é um forte incentivo. Adoro o café da Intelligentsia. Faço fila aos balcões deles qual fã à espera de um concerto. Ansiosa. Impaciente. Por isso, quando a minha marca de café preferida me abordou para colaborar com ela, fiquei emocionadíssima”. Mesmo não conhecendo bem Clark, para o estrato superior do sapiens incapaz de viver sem essa dádiva do Islão ao mundo, não poderia haver melhor cartão de visita. Mas, nestes três últimos anos, não foi essa a única actividade extra-curricular de St. Vincent: realizou uma curta de terror (The Birthday Party) e deu início à produção de uma releitura cinematográfica de O Retrato de Dorian Grey sob uma perspectiva feminina, aceitou ser um dos rostos da joalheira Tiffany – para a qual também gravou uma versão de "All You Need Is Love", dos Beatles – e concebeu e assinou uma guitarra eléctrica para a Music Man/Ernie Ball. 



Com Masseduction, o novo álbum, a atitude, tal como confessou a “The Line Of Best Fit”, terá sido “People might have thought I was going to zig, so I zagged”. Exactamente o género de coisa que, afinal, nunca seria inesperada vinda de quem, por exemplo, aquando da atribuição de um Grammy pelo disco de há três anos, na categoria de “Melhor álbum de rock alternativo, perguntou “Mas alternativo a quê?...” (curiosamente, consta que Masseduction irá ter uma variante… alternativa, "stripped down", apenas com o pianista Thomas Bartlett/Doveman). Porém, rezam as crónicas que francamente pouco convencional foi o cenário montado para acolher, em Londres, quem, agora, lhe iria escutar as opiniões: um cubo lynchiano côr-de-rosa com pontos de luz da mesma côr – “a psychedelic womb” – no interior do qual, Clark, sentada a uma mesa, poderia accionar um botão de resposta automática previamente gravada a indesejáveis perguntas estereotipadas. Que teriam por consequência imediata a expulsão do perguntador.

(videoclip aqui)

Sedução e poder. São as chaves de leitura para um álbum cuja digressão se intitulará “Fear The Future” e que St. Vincent descreve como “Dominatrix at the mental institution”: “Sabia que precisava de escrever sobre o poder – a ficção do poder e o poder da ficção”. Mas se, em "Happy Birthday, Johnny", ela canta “You saw me on magazines and TV, but if they only knew the real version of me“, todas as tentações de leitura (auto)biográfica são severamente desencorajadas: “As canções são testes de Rorschach. A interpretação ou o sentido de uma canção têm muito mais a ver com o ouvinte do que com a intenção de quem a escreveu. Há quem se preocupe com a possibilidade de ser mal interpretado. Desde que não me acusem de racismo, sexismo ou homofobia, por mim, está tudo bem”. Basta, então, que saibamos que esta formidável colecção de 13 canções convulsivamente electrónicas, invasivamente orquestrais e neuroticamente eléctricas se alimentou de Charles Mingus, Nabokov e Nick Cave. E que nada tem a ver com eles.
A Sodona Madonna é uma santa 
ou não é?


15 October 2017


Deixa ver se percebi: a Vaticano S.A. - agora muito mais arejada e progressista com o Santo Chiquinho como CEO -, para averiguar do grau de machorrice (de que nunca deverão fazer uso!) dos jovens candidatos a funcionários da empresa, vai perguntar ao mulherio beato se o puto já andou enrolado com elas, se já tentou mas a coisa não passou dali, ou se, mesmo que elas até nem desgostassem da ideia, ele não lhes liga peva? É isso? E qual é a resposta certa? E o valor do depoimento é igual quer se trate da bisavó do sacristão ou da moça da tabacaria que é a cara chapada da Eva Green?

A Carlinha da tabacaria
Ele está (literalmente)  
em toda a parte
 
(via Malomil)
Ficar quieto





(ver aqui)

14 October 2017

... que ingratidão para 
com o Farinho...
 
Kickstarter para Slacking Towards Bethlehem, o documentário definitivo sobre The Church of the SubGenius!

Para a "historiadora" Leninha, o Solzinho "bailou" mesmo, o problema do comprimento da saia na imagem da "senhora" nunca se colocou, a velha bruxa facha não existiu e a datação dos "segredos" é irrelevante

Edit: ... e o Capelão Magistral, por interposto Prémio Templeton, explica que o "milagre" do Solzinho dançante foi, afinal, o facto de a futura velha bruxa facha possuir super-poderes que nem o IPMA, hoje, tem. Boa!
 

13 October 2017

Vai de Roda - "Ungaresca/Saltarello" 
(G. Mainerio)
 
Análise de classes neo-marxista 
(tendência xunga)

ST. VINCENT/ANNIE CLARK (XVI)





Os custos da interioridade/insularidade


"(...) Uma reportagem sobre o consumo de pornografia ou referências eróticas na Internet, feita com base no Google Trends, concluiu que os utilizadores masculinos são os que mais pesquisam a palavra 'pénis' (...) o que se verifica sobretudo através de consultas feitas a partir dos Açores e, depois, por esta ordem, de Bragança, Madeira, Guarda, Vila Real, Portalegre e Viana do Castelo. Quando a palavra-chave é 'vagina' (...), as consultas vêm sobretudo de Bragança, Vila Real, Guarda e Açores. (...) Na explicação científica da sexóloga Vânia Beliz, 'o sexo amador é mais procurado por pessoas que gostam de uma coisa mais amadora'" (António Araújo - Da Direita à Esquerda)
... e, assim, não resta senão concluir que lixo é lixo e que se lixe o ecoponto

12 October 2017

... pá, chama-se Via Láctea...


... mas existe ainda outra hipótese:

Sherlock Holmes and Dr. Watson decide to go on a camping trip. After dinner and a bottle of wine, they lay down for the night, and go to sleep. Some hours later, Holmes awoke and nudged his faithful friend.
"Watson, look up at the sky and tell me what you see".
Watson replied, "I see millions of stars".
"What does that tell you?" 
Watson pondered for a minute.
"Astronomically, it tells me that there are millions of galaxies and potentially billions of planets".  
"Astrologically, I observe that Saturn is in Leo".
"Horologically, I deduce that the time is approximately a quarter past three".
"Theologically, I can see that God is all powerful and that we are small and insignificant". 
"Meteorologically, I suspect that we will have a beautiful day tomorrow" .
"What does it tell you, Holmes?"
Holmes was silent for a minute, then spoke: "Watson, you idiot. Someone has stolen our tent!"
Ó Sodona Madonna, mas eu não lhe disse já a quem devia dirigir-se?

... não queremos ver a Sodona Madonna com os azuis... a propósito já pensou nesta sugestão?...
Lixo é lixo mas, ao depositar no ecoponto, convém fazer correctamente a separação