30 June 2010

ANO DO TIGRE (XI)


Tigre com uma japonesa e um inglês quaisquer



Tigre com um inglês qualquer

(2010)
JOHNNY FLYNN - CONCERTO DE HOMENAGEM A SANDY DENNY



(2010)
A SAIR DO VIVEIRO



Johnny Flynn - Been Listening

E, pela terceira vez este ano, tropeçamos naquilo que, de agora em diante, só poderá ser designado como o efeito-Laura Marling. Mas, antes de aí chegarmos, permitam-me um ligeiro recuo histórico e a indispensável contextualização. Londres, 2007: no já desaparecido Bosun’s Locker, de Fulham, e na Big Chill House, um bar de King’s Cross, encontrava-se, regularmente, um grupo de gente francamente imberbe mas perdidamente apaixonada pela mitologia folk, que incluía Emma-Lee Moss (futura Emmy the Great), Marcus Mumford, Laura Marling, integrantes avulsos dos Noah & The Whale, Johnny Flynn, Eugene McGuinness... aquele exacto tipo de genealogia intrincada e arriscadamente incestuosa que – por mais do que uma boa razão –, apesar de ainda em estado embrionário, ameaça poder vir a ser a única competição à altura para a que descobrimos (e nos obriga a profunda concentração) sempre que procuramos as relações “familiares” dos clãs Fairport Convention/Steeleye Span.



Caso vos interesse investigar o assunto, no “Independent” de 6 de Fevereiro do ano passado, Tim Walker ensaiava uma primeira "rota das pedrinhas" do que já é conhecido como a "nu-folk scene", viveiro de diversas notabilidades indie em ascensão (conferir acima) e de outras na rampa de lançamento. "Scene" que os respectivos protagonistas, obviamente, se apressam a negar que exista (“É o tipo de caracterização que me dá arrepios: parece uma história elitista de candidatos a figuras 'cool'. Somos uma comunidade musical aberta”, rosna Johnny Flynn) e perante a qual os inevitáveis defensores da “autenticidade” se irritam, não levando a bem que putos de sotaque "posh" se atrevam a reinvindicar como sua a sacrossanta tradição.



Laura Marling, então. A mesma ninfeta que – em modo coração-despedaçado – inspirou The First Days Of Spring, dos Noah & The Whale, a musa de Marcus Mumford em Sigh No More, dos Mumford & Sons, a autora dos óptimos Alas I Cannot Swim (2007) e I Speak Because I Can (2010) e motivo para alusão, sob forma de anagrama, no título da estreia de há dois anos, de Johnny Flynn, A Larum (aliás, Laura M). E, ainda que apenas numa única canção ("The Water"), ei-la também presente em Been Listening, a simultânea confirmação de que a "nu-folk scene" londrina é algo de bem mais promissor que o "free-folk" transatlântico e de que Johnny Flynn – sul-africano de nascimento, actor shakespeareano, poeta, 27 anos – é, com toda a certeza, um dos "nu-folkers" a que vai ser obrigatório prestar atenção. Porque o que “ele tem andado a ouvir” e transparece, já muito satisfatoriamente digerido, é tanto a riquíssima herança dos Thompsons, Hutchings e Carthys como, naturalmente, aquela mais recente de Morrissey ou Jeff Buckley, rasgadas por uma ou duas labaredas da guitarra de Anna Calvi. Milagrosamente, sem qualquer sombra de atrito, incompatibilidade ou razão para suspeita de manobra calculada, num magnífico álbum que contém onze das mais perfeitas canções que, este ano, iremos poder escutar.

(2010)
RECORDANDO AS ACERTADAS PROFECIAS
DA IRMÃZINHA MARIA DE LURDES ARAÚJO




(2010)

29 June 2010

PROPOSTA MUITO SÉRIA DE NOVO HINO NACIONAL



Agora que os/as profissionais do "blow-job" meteram a vuvucoisa no saco e a ideia já não corre o risco de ser mal interpretada, é o momento apropriado para propor aquilo que, durante estes - felizmente, curtos - dias, crescentemente, me pareceu algo de muito obviamente sensato e necessário: substituir "A Portuguesa" por "I Gotta Feeling" como hino nacional.

Não, não se trata de declarar a rendição perante o massacre sonoro, 24 horas por dia. A questão é de fundo: entre as duas hipóteses, qual a que oferece o retrato mais exacto e verdadeiro de Portugal (aquilo que um hino nacional deverá simbolizar)? Uma que fala de "heróis do mar, nobre povo, nação valente e imortal"? (quer dizer, só pode ser humor muito negro, basta olhar à volta...) Ou outra que, traduzindo o genuíno pensamento filosófico português, admite "não estudei lá muito bem o assunto, não vão contar que fui eu que disse, mas, sei lá, cheira-me... é cá uma fezada... tenho um feeling... que coiso e tal..."?

Além do mais, ninguém sabe cantar "A Portuguesa" e, por esta altura, não deve existir quem, a bem ou a mal, não tenha a outra embutida nos tímpanos.

(2010)
NÃO SEI BEM PORQUÊ MAS OCORREU-ME AGORA MESMO:
A UNIÃO IBÉRICA NÃO VOS PARECE UMA ÓPTIMA IDEIA?


Propostas de bandeira:



















(mais sugestões aqui)

(2010)
NATALIE MERCHANT


Nas conferências TED


"Because The Night" c/ 10 000 Maniacs

(2010)
E ESPEREMOS QUE O DAWKINS, O HARRIS E O HITCHENS
NÃO SE ESQUEÇAM DE FAZER OS TPC PARA SETEMBRO




Rusgas da polícia belga na catedral de Malines

(segundo o Sumo-Patífice, poderão ser suspeitos de pedofilia mas "devem ser tratados pela magistratura civil e canónica com o respeito recíproco pela autonomia e especificidade de cada um". Tradução: "olhem para Portugal e vejam o que é um sistema judicial como deve ser")

(2010)
THE NATÁLIA DE ANDRADE EXPERIENCE (II)
(sequência daqui)


(capturado aqui)

(2010)

28 June 2010

NÃO ESTOU CERTO DE QUE NÃO
SE TRATE DE FOTOMONTAGEM...



(o grande Vitalino Ricardo Canas Rodrigues & Cº - daqui)

... mas não deixa de ser uma bela metáfora visual.

(2010)
OS PANZERS EMERGIRAM DAS BRUMAS E CERCARAM LONDRES? ANGELA MERKEL DECIDIU FINANCIAR OS RADICAIS DO IRA?
O PRÍNCIPE DE GALES TEM UM AFFAIR COM O FANTASMA DE
EVA BRAUN? NÃO, NÃO, PARECE QUE TUDO, AFINAL, NÃO
PASSOU DE UM JOGO DE BOLA, 11 DE CADA LADO E TAL...



A resposta militar inglesa já está em curso

Alemanha humilhou a Inglaterra

(títulos alternativos: "A indigência intelectual do jornalista desportivo"; "Novos contributos para o pensamento bimbo-trauliteiro do gebo da bola")

(2010)

27 June 2010

EM RIGOROSÍSSIMO EXCLUSIVO, A OBRA MÁXIMA
DE UM ENORME GÉNIO DA PINTURA CONTEMPORÂNEA,
PAL SARKOZY, DITOSO PAI DE UM GIGANTE (AINDA
QUE VERTICALLY CHALLENGED) POLÍTICO EUROPEU




When art critics "are from the right wing, criticism is good. When the critics are from the left side, it is systematically very bad," he said.


Ampliação da nora

(2010)
NA CAPA DA "PÚBLICA" DE HOJE, A CASTAFIORE LUSA,
NATÁLIA DE ANDRADE (+ 12 MERECIDÍSSIMAS PÁGINAS
COM A SUA LENDÁRIA BIOGRAFIA E ICONOGRAFIA VÁRIA)


Rewind para "The Natália de Andrade Experience" e evocação da sua rival Florence Foster Jenkins.


(2010)

26 June 2010

PRONTO, É OFICIAL, O ZÉ PASSOU-SE DE VEZ;
HAJA ALGUÉM QUE, POR CARIDADE, O REMOVA



"O verrdadeirro pôlítiko patrriôta é o pôlítiko
quien guosta de Kamuois" (alemão técnico)


"Mário Soares é um patriota, gosta de Camões. Eu gosto dos políticos que gostam de Camões. Eu gosto muito do doutor Mário Soares"

(2010)
ANNA CALVI (I)
"Love Won't Be Leaving"


(2010)
OBJECTOS/BODY PARTS (VII)















(2010)
ANO DO TIGRE (X)

A admirável indiferença do tigre



(2010)
E, A ABRIR O FIM-DE-SEMANA, TEMOS
UMA BOA NOTÍCIA E UMA MÁ NOTÍCIA

(que são exactamente a mesma notícia)



O PS cai para 24,1%;

O PSD alcança 47,7%.


(sondagem de Junho da Marktest para o Diário Económico e TSF)

(2010)

25 June 2010

ZÉ, PÁ, ESTÁS A REPETIR-TE, JÁ
TÍNHAMOS FALADO ACERCA DISSO

(pá, recorda-te lá, pá...)



Muitas vezes sinto-me sozinho a puxar pelo país

agora, com nova banda sonora:



I would say I'm sorry
If I thought that it would change your mind
But I know that this time
I've said too much
Been too unkind


I try to laugh about it
Cover it all up with lies
I try and
Laugh about it

Hiding the tears in my eyes
'cause boys don't cry
Boys don't cry


I would break down at your feet
And beg forgiveness
Plead with you
But I know that
It's too late
And now there's nothing I can do


So I try to laugh about it
Cover it all up with lies
I try to
laugh about it
Hiding the tears in my eyes
'cause boys don't cry

I would tell you
That I loved you
If I thought that you would stay

But I know that it's no use
That you've already
Gone away


Misjudged your limits
Pushed you too far
Took you for granted
I thought that you needed me more


Now I would do most anything
To get you back by my side
But I just
Keep on laughing
Hiding the tears in my eyes
'cause boys don't cry
Boys don't cry
Boys don't cry


(2010)
PORQUE SE CHAMA "ARTISTAS INDEPENDENTES"
EXACTAMENTE AOS QUE DEPENDEM DE SUBSÍDIOS?




Artistas independentes são quem mais vai sofrer com os cortes

(2010)
PASSEAR POR LISBOA, HOJE, ENTRE AS 3 E AS 5
DA TARDE, VAI SER UMA ENORME FELICIDADE



Avenida da Liberdade (Arquivo Fotográfico Municipal
de Lisboa
, fotógrafo anónimo, data desconhecida)


(2010)

24 June 2010

JOHNNY FLYNN - "TICKLE ME PINK"



(2010)
ESTA GENTE É MESMO TÃO BIMBA QUANTO PARECE
OU ISTO ATÉ DEU MUITO JEITO PARA DESVIAR AS
ATENÇÕES DE COISAS BASTANTE MAIS SÉRIAS?

(sequência daqui)



"J'ai dit aux joueurs que ce sont nos gosses, nos enfants, pour qui vous ne serez peut-être plus des héros. Ce sont les rêves de vos compagnes, de vos amis, de vos supporteurs que vous avez peut-être brisés. C'est l'image de la France que vous avez ternie". Parlant de la situation présente, elle n'a pas hésité à parler de "désastre moral" car "rien ne sera plus jamais comme avant". (aqui)






"Roselyne Bachelot a indiqué aux Bleus que le match contre l'Afrique du Sud, mardi, "ce n'est pas dans vos jambes, mais dans votre coeur, dans votre âme" qu'il se jouerait. "Donnez tout, battez-vous", les a-t-elle encore exhortés". (aqui)






"Réception de Thierry Henry à l'Elysée ce matin en pleine manifestation contre la réforme des retraites, annonce d'Etats généraux du football... Nombreuses sont les voix, dans l'opposition comme dans la majorité, qui dénoncent le foot devenu affaire d'Etat". (aqui)



(2010)
NATALIE MERCHANT - "NURSERY RHYME
OF INNOCENCE AND EXPERIENCE"




(2010)

23 June 2010

A GRANDE FESTA DO POVO (III)

Desligar a TV, deixar os estádios desertos
(Nadia Burgrave Burggraeve)


"Le sport de masse dans ce nouvel âge du capitalisme spectaculaire, inséré dans des réseaux mafieux (voire tous les scandales sportifs) est non seulement un objet de consommation mais aussi, et insidieusement, porteur d’un projet 'd’un homme nouveau' qui succède à celui des idéologies totalitaires et reflète l’assujetissement toujours plus poussé aux dispositifs du bio-pouvoir et marchand dont il faut se libérer. (...)

La critique est possible contre cette religion du sport, nouveau pouvoir spirituel (on y croit tous ensemble) spectaculairement mis en scène dans des grandes messes oecuméniques planétaires, (la TV se fend alors de re-transmissions très coûteuses faute de quoi, elle est toujours en manque de denier pour créer des émissions intelligentes) impudiques par l’argent brassé (voire tout le sponsoring écoeurant quand ces mêmes boîtes licencient) qui mobilisent des foules d’individus d’un monde pourtant singulièrement pauvre mais qui devant leur écran ou dans les stades partage les mêmes émotions présentées comme la chance des cités et des favellas qui partagent de Rio à Montfermeil, le même fétichisme pour les grandes marques et les idoles sportives! (...) Le sport est le stade suprême du capitalisme mondial, absolu, eugéniste, darwinien, totalitaire qui réalise sous nos yeux la prophétie philosophique de Michel Foucault de la 'mort de l’homme'.

A vous de savoir fermer la TV et de déserter les stades... (aqui)

(2010)
ANO DO TIGRE (IX)


Philip K. Dick e tigre

(2010)
EMMY THE GREAT - "FIRST LOVE"



I remember how we met
but your name I forget
like the door that I have kept unopened

I remember it was wet
and the swelter and the sweat
and the shelter of the bed we were cloaked in

You were stroking me like a pet
but you didn't own me yet
and the tape in the cassette deck was choking
Spat out a broken hallelujah

But I've seen the way the earth
throws its aces with a curve
You were waiting for the words
to come to you.

Just to say that you prefer to be lonely
to be cursed
and to do the very worst you can do.

Yeah I remember you like a verse
that I didn't want to learn
I just looked into your eyes
and I knew you.

Now the thought of you is burnt
on my body from the first time you did rewind that line from Hallelujah.
The original Leonard Cohen version.

Well I wish I never met you that day
You said I have a room and music to play
I have a room let me show you the way
I wish that I'd never come

But now that I have, I would do it again
I would forget like I'd piss on a grave

I would forget like I'd piss on a grave
that the words as they came to my tongue were hallelujah. Hallelujah!
And the sky was so much bluer
Hallelujah! Hallelujah!
And the world was so much newer.

You said I have a room
at the top of the stairs
I have a room with a view
I know we all have a cross that we bear
and I'd like to show it to you.

And you left me in the light
and you met me in the light
and we only had a night between the two.

You were waiting for the worst
You were listening for a curse
but the only thing I heard was hallelujah.

Hallelujah! Hallelujah!
And the sky was so much bluer
Hallelujah! Hallelujah!
And the world was so much newer.

you said I have a room
at the top of the stairs.
I have a room with a view.
I know we all have a cross that we bear
and I'd like to give it to you.

And I won't forget how the sky was set
I said I have a place to go back to.
La La La I will have you yet
I will carry you there if I have to.

No I won't forget no I won't.
No I won't forget no I won't
No I won't forget no I won't
No I won't forget no.

Woah. Woah. Woah. W-o-o-o-ah.
First love


(2010)

22 June 2010

ISTO NÃO É "O BALÃO DO JOÃO"



Natalie Merchant - Leave Your Sleep

Só quem nunca tenha, realmente, lido a Alice, de Lewis Carroll, é que poderá, equivocadamente, imaginar que se trata de um livro para crianças. Grace Slick e Tom Waits compreenderam-no, Tim Burton, não. E o mesmo se poderia dizer de uma infinidade de outros clássicos “infantis”, do Capuchinho Vermelho, de Charles Perrault, ao Principezinho, de Saint-Exupéry, histórias de suposta candura e inocência cujo sentido último dificilmente – e, muitas vezes, felizmente – será alcançado pelo hipotético público-alvo. Leave Your Sleep, o último álbum (duplo) de Natalie Merchant desde The House Carpenter's Daughter – uma colecção de versões de temas folk, de 2003 –, apesar de ter surgido, nos últimos seis anos, a partir das cantigas e embalos que Natalie foi criando para a filha, Lucia, desde que ela nasceu, não anda também muito longe desse modelo. Como ela própria confessa no belíssimo e informativo booklet de 80 páginas, em "hardback", “arranquei estes poemas obscuros e excêntricos das suas páginas lisas e amarelecidas e dei vida a uma parada de bruxas e raparigas destemidas, cegos e elefantes, gigantes e marinheiros e ciganos, igrejas flutuantes, ursos dançarinos, cavalos de circo, uma princesa chinesa, um moço de recados e muitos outros. (…) Os poetas são os guardadores da linguagem sagrada que descreve os nossos lugares santos – desconhecidos e impossíveis de conhecer. (...) O trabalho do poeta é rodear de silêncio tudo aquilo que vale a pena ser recordado”.



O trabalho de Natalie Merchant, esse, foi a sempre problemática tarefa de desocultar a música que cada texto traz em si e que está ou não disposto a revelar. Aqui, todos os vinte e seis se mostraram colaborantes, numa extensa lista que vai de Ogden Nash a e.e. cummings, Robert Louis Stevenson, Edward Lear, Gerard Manley Hopkins, Robert Graves, Christina Rossetti, Laurence Alma-Tadema ou às "nursery rhymes" da Mother Goose. Sim, isto não é, definitivamente, "O balão do João". E muito menos o é quando nos apercebemos que o elenco de mais de cem músicos que participaram nas gravações inclui gente como Wynton Marsalis, Medeski, Martin & Wood, os Klezmatics, o grupo de gospel, Fairfield Four, os irlandeses Lunasa e elementos da New York Philarmonic Orchestra, prontos a fazerem disparar melodias e palavras para todas as tonalidades de um micro-universo que contém em si bluegrass e barroco, R&B e pop de câmara, festa judaica e tradição nativa, swing e ecos das Apalaches, cabaret, Beach Boys, "chinoiseries" e New Orleans.



Se, como Natalie, igualmente, admite, “a agenda escondida deste projecto é vir a transformar-se numa produção teatral multimedia”, muitas expectativas deveremos alimentar acerca do que, em palco, há a esperar destas narrativas escritas por pregadores bígamos, crianças prodígio, corretores da Bolsa surrealistas e homossexuais geniais, repletas de monstros devoradores de crianças, morangos no oceano, velhas matronas azedas de vinte anos, figurões neuróticos, veleiros à deriva, tremendas maldições e "nonsense" delirante generosamente distribuído. É muito possível que Lucia não tenha, todas as noites, escorregado tranquilamente para o sono – pois se é o próprio lema do álbum que, numa quadra da Mother Goose, apela “Girls and boys, come out to play, the moon doth shine as bright as day, leave you supper and leave your sleep, and come with your playfellows into the street”... – mas que (mesmo, talvez, sem se aperceber completamente das peculiaridades do gosto da mãe quanto a canções infantis) se terá imensamente divertido, não sobram grandes dúvidas.

(2010)
ESCUTAI, OH CAMARADAS, ESCUTAI, O(S) MUI BEM
AMADO(S) LÍDER(ES) E VEDE SE, DE VILAR DE MAÇADA
AO BRAVO FAROL SOCIALISTA DE PYONGYANG, NÃO
O(S) CONHECEMOS (SCI-FI E TUDO) DE GINGEIRA...




(2010)

21 June 2010

EMMY THE GREAT - "CITY SONG"



The city called me so I came
It isn't mine to question what it said
I sleep until the point when I'm awake
I walk until there's nothing left to trek
And everyone is looking for an answer
And everyone is waiting for a break
I came and I was bored of it soon after
But I had nowhere to go and so I stayed
I dreamed a lifetime of this place
It seemed an awful thing to waste
Well the morning fills my mouth up with decay
I like it, it reminds me how you taste
Sometimes I feel you rising up behind me like the wind
But I still try to look away
What will you look like when you're old?
(What will you look like when you're old?)
What will I do if I don't know you?
(What will I do if I don't know you?)
I guess that I decided not to ask the day I took the road
Down to the city as it called
Sun making silhouettes of gauze
I don't remember you at all
The city called me and I came
It isn't mine to question why
Sometimes the clouds will rise ahead, I hear your name
It's like a choir in the sky
What will you look like when you're old?
(What will you look like when you're old?)
What will I do if I don't know you?
(What will I do if I don't know you?)
I guess that I decided not to know the day I took the road
Down to the city as it called
Sun making silhouettes of gauze
I don't remember you at all
They pulled a human from my waist
It had your mouth, it had your face
I would have kept it if I'd stayed.


(2010)
UMA DESPRETENSIOSA PROPOSTA DE MODELOS
ESTATUÁRIOS, COM O OBJECTIVO DE SARAR AS
FERIDAS AGORA ABERTAS NAS RELAÇÕES ENTRE
O ESTADO PORTUGUÊS E A COREIA DEMOCRÁTICA
E POPULAR DO (OUTRO TAMBÉM) AMADO LÍDER



Projecto 1

"A maior parte dos trabalhadores [torcedores pela selecção norte-coreana, presentes no mundial da África do Sul] seria de uma empresa estatal [da Coreia do Norte] ou do Instituto de Artes Mansudae, (...) responsável pela construção de estátuas e outros objetos na Namíbia, Angola e outros países africanos (...) e estão lá a mando do próprio Governo". (aqui)


Projecto 2

(com o apoio do camarada Bernardino, do camarada Jerónimo e da camarada Rita Rato, poderia constituir até um muito desejável estímulo para a unidade de esquerda)

(2010)
NÃO É QUE NOS SIRVA DE GRANDE CONFORTO MAS
NÃO HÁ DÚVIDA QUE O PATRIOTEIRISMO-BIMBO
NÃO É REALMENTE UM EXCLUSIVO LUSO




Governo tenta evitar novas "vergonhas" da selecção na África do Sul e franceses só querem que o pesadelo acabe depressa

O ministro da Imigração e da Identidade Nacional da França, Eric Besson, disse nesta segunda-feira que, "no exterior, todos estão rindo de nós"

A vice-presidente executiva do partido de extrema direita Frente Nacional (FN), Marine Le Pen (...) considerou uma "humilhação mundial" o que a França está passando


(que raio, são só onze mamíferos a correr atrás de uma bola... ou haverá aqui alguma transcendência que me escapa?... deve haver, pois se a coisa até mete o ministro "da Identidade Nacional"...)

(2010)

20 June 2010

DEVE TER SIDO POR ISTO QUE O SUMO-PATÍFICE
GOSTOU TANTO DE PORTUGAL: SENTIU-SE EM CASA

(que é como quem diz: quando não é pedofilia, são robalos)


Como dizia o Oscar Wilde, "somente as pessoas
superficiais não julgam pelas aparências"


Um dos mais destacados cardeais italianos, Crescenzio Sepe, arcebispo de Nápoles, está a ser investigado por corrupção agravada

(se quiséssemos inventar um cargo para a personagem, nunca conseguiria ser tão bom como "Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos"...)

(2010)
NATALIE MERCHANT - "LEAVE YOUR SLEEP"



(2010)
MOMENTOS DE LUTO (V)



"Falando em Viseu, na sessão de encerramento do XVI Congresso da Causa Real, sem nunca referir o nome de José Saramago, Duarte Pio, disse ser 'simbólico que o país neste momento esteja a homenagear como um grande herói nacional um homem que é contra Portugal, que quis que Portugal deixasse de existir como país'". (aqui)


(Coerência é isto: sempre que a criatura abre a boca, nunca há angústias nem incertezas. Se ele o defendeu, é porque é, seguramente, o ponto de vista errado. O Saramago iberista era o único Saramago que valia a pena)

(2010)
MOMENTOS DE LUTO (IV)


Dilma Rousseff, crítica literária

(2010)
MOMENTOS DE LUTO (III)



Em directo, na SIC-N, durante a apresentação de condolências aos familiares de Saramago: "E, agora, certamente um conjunto de notáveis mas que eu, infelizmente, não consigo identificar".

(a correr, lá em baixo, na barra de notícias: "90% das vuvuzelas da África do Sul são made in China")

(2010)
MOMENTOS DE LUTO (II)



1) Escutado apenas durante alguns minutos, na Antena 2, o programa "Um Certo Olhar" em que Luís Caetano "debate sobre a actualidade com Maria João Seixas, Luísa Schmidt e Miguel Real". Apenas alguns minutos mas os suficientes para poder ouvir Caetano, na sequência das respostas dos três participantes (tema: a morte de Saramago), perguntar repetidamente "Mas com coerência?..." Sepulte-se o defunto e vá a correr ler-se Fernando Pessoa.

2) A Pátria respira de alívio: as cinzas de Saramago ficam em Portugal. Ninguém, na verdade, se apercebeu mas estivemos à beira de uma nova Olivença. Nas agências de rating internacionais, houve quem não pregasse olho durante 48 horas, à espera do que poderia resultar deste embrião de querela entre o "P" e o "S" dos PIGS.

3) Isto está a correr bem para Sócrates: Mundial de ludopédio, morte, velório e funeral de Saramago (com as respectivas réplicas sísmicas asseguradas durante mais dois ou três dias) colocam "a crise" e as comissões de inquérito entre parêntesis, pelo menos, até ao fim do mês. Com um mini-bónus adicional, a saber, a grande polémica que trespassa o mundo: os grandes artistas devem ser cremados? Porque o que está em causa não é coisa menor: "não haverá um túmulo como lugar de peregrinação"!... (por breves instantes, passaram-me pela mente os dezoito prepúcios do senhorsantocristo)

(2010)
MOMENTOS DE LUTO (I)


(clicar para ampliar)

"Stanley Goldfarb morreu e os familiares e a congregação reuniram-se para uma noite de orações e palavras de luto. Quando chegou o momento de a congregação fazer os elogios fúnebres, ninguém se mexeu. Depois de esperar vários minutos, o rabino ficou irritado; recordou aos presentes que tinham o dever de encontrar algo de bom para dizer em memória de Goldfarb.

- Alguém deve ter uma coisa simpática para dizer sobre ele!

Depois de outro período de silêncio, um velhote que estava sentado ao fundo da igreja levantou-se e gaguejou:

- Posso dizer isto pelo velho Stanley: o seu irmão Morris era pior". (Heidegger e um Hipopótamo Chegam às Portas do Paraíso, Thomas Cathcart & Daniel Klein)

(2010)

19 June 2010

ACERCA DA COERÊNCIA



"Recentemente, entre a poeira de algumas campanhas políticas, tomou de novo relevo aquele grosseiro hábito de polemista que consiste em levar a mal a uma criatura que ela mude de partido, uma ou mais vezes, ou que se contradiga, frequentemente. A gente inferior que usa opiniões continua a empregar esse argumento como se ele fosse depreciativo. Talvez não seja tarde para estabelecer, sobre tão delicado assunto do trato intelectual, a verdadeira atitude científica.

Se há facto estranho e inexplicável é que uma criatura de inteligência e sensibilidade se mantenha sempre sentado sobre a mesma opinião, sempre coerente consigo próprio. A contínua transformação de tudo dá-se também no nosso corpo, e dá-se no nosso cérebro consequentemente. Como então, senão por doença, cair e reincidir na anormalidade de querer pensar hoje a mesma coisa que se pensou ontem, quando não só o cérebro de hoje já não é o de ontem, mas nem sequer o dia de hoje é o de ontem? Ser coerente é uma doença, um atavismo, talvez; data de antepassados animais em cujo estádio de evolução tal desgraça seria natural.

A coerência, a convicção, a certeza são além disso, demonstrações evidentes — quantas vezes escusadas — de falta de educação. É uma falta de cortesia com os outros ser sempre o mesmo à vista deles; é maçá-los, apoquentá-los com a nossa falta de variedade.

Uma criatura de nervos modernos, de inteligência sem cortinas, de sensibilidade acordada, tem a obrigação cerebral de mudar de opinião e de certeza várias vezes no mesmo dia. Deve ter, não crenças religiosas, opiniões políticas, predileções literárias, mas sensações religiosas, impressões políticas, impulsos de admiração literária. (...) O homem disciplinado e culto faz da sua sensibilidade e da sua inteligência espelhos do ambiente transitório: é republicano de manhã, e monárquico ao crepúsculo; ateu sob um sol descoberto, é católico ultramontano a certas horas de sombra e de silêncio; e não podendo admitir senão Mallarmé àqueles momentos do anoitecer citadino em que desabrocham as luzes, ele deve sentir todo o simbolismo uma invenção de louco quando, ante uma solidão de mar, ele não souber de mais do que da "Odisseia".

Convicções profundas, só as têm as criaturas superficiais. Os que não reparam para as coisas quase que as vêem apenas para não esbarrar com elas, esses são sempre da mesma opinião, são os íntegros e os coerentes. A política e a religião gastam d'essa lenha, e é por isso que ardem tão mal ante a Verdade e a Vida".
(Fernando Pessoa, in Idéias Políticas)

(2010)
NÃO HÁ COMO A MORTE DE UMA VACA SAGRADA
PARA ABRIR AS COMPORTAS DO LUGAR-COMUM
NECROLÓGICO E DA MUITO SOLENE INANIDADE



Hugo Chávez com o irmão de outro literato amigo de Saramago

"Foi um homem que afirmou a sua criação literária através da liberdade de pensamento" - Gabriela Canavilhas, Ministra da Cultura

(já a formulação alternativa "Foi um homem que afirmou a sua criação literária através do pensamento da liberdade" ia custar um bocadinho a engolir...)

"Saramago foi muito importante pelo modo generoso como recebeu os novos autores e como sempre me tratou, com grande atenção e generosidade” - Gonçalo M. Tavares

(ah, pronto...)

"Um homem recto, sereno e lúcido" - Mário de Carvalho

(porque qualificá-lo como "um social-fascista demencialmente intolerante e incapaz de compreender o mundo out of the box" ia caír mal, não ia?)

"Foi um escritor 'arriscado e sem concessões' que soube olhar com 'o seu agudo sentido crítico a morte, as guerras e os abusos do poder'" - Carmen Caffarel, directora do Instituto Cervantes

(foi, foi, e ele, o Hugo Chávez, o Fidel e outros literatos amigos mantinham tertúlias assíduas em que exerciam o "agudo sentido crítico"...)

"Um exemplo de coragem, pela sua coerência* - Lídia Jorge

(exacto: tal e qual como esse outro gigante da democracia, Barreirinhas Cunhal)

* Oh!... a coerência...

(2010)

18 June 2010

NÃO, NÃO É SÓ O DESESPERO DE, À BEIRA DO FIM,
PROCURAR OCUPAR TODAS AS CASAS DO TABULEIRO;
É, EM PARTICULAR, A PROVOCAÇÃO SEM VERGONHA
APÓS A CHEGADA AO ÚLTIMO GRAU DE PUTREFACÇÃO




"O ex-ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações é o novo presidente do conselho fiscal das companhias de seguros do grupo Caixa Geral de Depósitos, que era ocupado pelo falecido Saldanha Sanches". (aqui)

(2010)

17 June 2010

DROPKICK MURPHYS & CONAN O'BRIEN
- "SHIPPING UP TO BOSTON"
(Boston 6/4/10)



(2010)
A DONA ISILDA DOS BOIZINHOS E DAS VAQUINHAS 
E A DONA THEREZA (COM "TH" E "Z", ATENÇÃO!) 
PERSISTEM NA DEMANDA DO SANTÍSSIMO GRAAL




(2010)
E.R.



Gogol Bordello - Trans-Continental Hustle

Os últimos concertos dos Gogol Bordello em Portugal tinham deixado crescer a suspeita que a infatigável máquina pagã produtora de ajuntamentos freneticamente orgiásticos tinha entrado em piloto automático e deixara de conhecer outros andamentos senão aqueles que, sem pausas, oscilavam apenas entre o febril e o histericamente apopléctico. Até Super Taranta (2007), esse registo funcionara sem falência sob a supervisão de produtores como Steve Albini e Jim Sclavunos mas parecia óbvio que era indispensável alterar algumas regras do jogo.



O serviço de reanimação dirigido por Rick Rubin, convocado de urgência, ter-se-à aplicado a fundo. A terapêutica, porém, sem atingir órgãos vitais, poderá ter reforçado alguma contaminação new-age (contraída, julga-se, no convívio com Madonna e agravada pelo misticismo tropical do Brasil, para onde Eugene Hütz foi viver) sem ter chegado a desencadear novos e revigorantes estímulos criativos. A situação é estacionária e o prognóstico mantém-se reservado.

(2010)

16 June 2010

DROPKICK MURPHYS - "THE STATE OF MASSACHUSETTS"



(2010)
LIMPAVA-SE-LHES O BOLOR IDEOLÓGICO FASCISTÓIDE E,
SEM GASTAR UM CÊNTIMO *, FICAVA UMA ESCOLA CATITA




Exames de Português e Matemática de 1943 (10/11 anos)
(retirados daqui)


* ... poupando, aliás, alguns milhões com o encerramento de todas as Escolas "Superiores de Educação" e antros afins onde vítimas inocentes são contaminadas pela peçonha das "ciências" da Educação.

(2010)
E A LISTA CRESCE: PRIMEIRO TATI, DEPOIS DELON, AGORA CHURCHILL



"The face is instantly familiar, the two-fingered salute unmistakable. But are these actually the same photograph of Sir Winston Churchill? In the original photograph the war leader has his cigar gripped firmly in the corner of his mouth. But in the other image - currently greeting visitors to a London museum - his favourite smoke has been digitally extinguished". (artigo completo aqui)



(2010)